Acompanhe o mapa da NASA com asteróides em tempo real

Um novo mapa 3D interativo disponibilizado pela NASA traz informações curiosas sobre a posição de centenas de asteróides e cometas são observados em tempo real.

Internet
Publicado em 20/12/2021 por Alan Corrêa
Acompanhe o mapa da NASA com asteróides em tempo real

Você pode estudar o comportamento de centenas de corpos celestes com este mapa, além de conhecer as missões passadas, atuais e futuras enviadas para esses objetos.

Eyes on Asteroids
Eyes on Asteroids

“Queríamos tornar ‘Eyes on Asteroids‘ o mais amigável possível ao contar as histórias da exploração humana desses objetos fascinantes”, disse Jason Craig, produtor técnico da equipe de Desenvolvimento de Tecnologia de Visualização e Aplicativos da JPL, que desenvolveu o aplicativo .

Eyes on Asteroids

Veja milhares de asteróides e cometas em tempo real, veja as próximas cinco aproximações da Terra e explore as missões passadas, presentes e futuras para asteróides e cometas.

A ferramenta que é disponível pela internet pode ser acessada gratuitamente pelo site da ‘Eyes on Asteroids‘.

Esta visualização interativa usa dados do Centro de Estudos de Objetos Próximos da Terra (CNEOS) do JPL, que calcula órbitas de alta precisão para Objetos Próximos à Terra (NEOs) em apoio ao Escritório de Coordenação de Defesa Planetária da NASA.

Outros mapas interativos da NASA

Eyes on Exoplanets - Neptune-like
Eyes on Exoplanets – Neptune-like

Eyes on Asteroids não é a única ferramenta da NASA disponível para quem quer ver mapas espaciais em 3D, abaixo você confere outras opções que estão disponíveis gratuitamente em tempo real.

Asteróides, cometas e meteoritos

Cometa Borrelly - 19p/borrelly
Cometa Borrelly – 19p/borrelly

Quais são as diferenças entre um asteróide, cometa, meteoróide, meteoro e meteorito?

  • Asteróide: Um corpo rochoso relativamente pequeno, inativo, orbitando o sol.
  • Cometa: Um objeto relativamente pequeno, às vezes ativo, cujos gelos podem vaporizar na luz do sol formando uma atmosfera (coma) de poeira e gás e, às vezes, uma cauda de poeira e / ou gás.
  • Meteoróide: Uma pequena partícula de um cometa ou asteróide orbitando o sol.
  • Meteoro: O fenômeno da luz que resulta quando um meteoróide entra na atmosfera da Terra e vaporiza; uma estrela cadente.
  • Meteorito: Um meteoróide que sobrevive à sua passagem pela atmosfera terrestre e pousa na superfície terrestre.

Tamanho e Frequência

Todos os dias, a Terra é bombardeada com mais de 100 toneladas de poeira e partículas do tamanho de areia.

Cerca de uma vez por ano, um asteróide do tamanho de um automóvel atinge a atmosfera da Terra, cria uma bola de fogo impressionante e queima antes de atingir a superfície.

A cada 2.000 anos mais ou menos, um meteoróide do tamanho de um campo de futebol atinge a Terra e causa danos significativos à área.

Finalmente, apenas uma vez a cada poucos milhões de anos, surge um objeto grande o suficiente para ameaçar a civilização da Terra. As crateras de impacto na Terra, a lua e outros corpos planetários são evidências dessas ocorrências.

Rochas espaciais menores que cerca de 25 metros (cerca de 82 pés) provavelmente irão queimar ao entrar na atmosfera da Terra e causar pouco ou nenhum dano.

Se um meteoróide rochoso maior que 25 metros, mas menor que um quilômetro (um pouco mais de 1/2 milha) atingisse a Terra, provavelmente causaria danos locais à área de impacto.

Acreditamos que qualquer coisa maior que um a dois quilômetros (um quilômetro é um pouco mais que meia milha) pode ter efeitos mundiais. Com 5,4 quilômetros de diâmetro, o maior asteróide potencialmente perigoso conhecido é o Toutatis.

Em comparação, os asteróides que povoam o cinturão de asteróides principal entre Marte e Júpiter, e não representam nenhuma ameaça para a Terra, podem ter até 940 quilômetros (cerca de 583 milhas) de diâmetro.

Como uma órbita de asteróide é calculada?

A órbita de um asteróide é calculada encontrando o caminho elíptico em torno do sol que melhor se ajusta às observações disponíveis do objeto. Ou seja, o caminho calculado do objeto em torno do sol é ajustado até que as previsões de onde o asteróide deveria ter aparecido no céu em vários momentos observados coincidam com as posições onde o objeto foi realmente observado nesses mesmos momentos. À medida que mais e mais observações são usadas para melhorar ainda mais a órbita de um objeto, ficamos cada vez mais confiantes em nosso conhecimento de onde o objeto estará no futuro.

*Com informações da NASA.

Techdoido

A tecnologia faz parte da nossa vida, e o Techdoido traz as novidades e dicas sobre elas para você neste blog.