Como é produzido o etanol, o álcool combustível

Então o Etanol de segunda geração ou celulósico, é exatamente isso, o bagaço ou a palha (parte sólida) de sobra desse processo, onde é possível utilizá-la em procedimentos de cultivo de plantas por exemplo.
Publicado em Auto dia 27/04/2021 por Alan Corrêa

O Etanol, pode ser utilizado em diversas formas, como fabricações de alguns processos industriais, produtos de farmácia, cosméticos, bebidas, e além de tudo como combustível para os veículos, então ele é mais conhecido por nós como o “Álcool”.

O etanol pode ser extraído de alguns vegetais diferentes, como o milho por exemplo, que além de ser utilizado na fabricação do álcool, também é um grão que se usa dentro de outros diversos processos, como na criação de cervejas também.

Vamos entender direitinho o que é o etanol, em quais utilidades ele está presente e quais são as etapas do processo para ocorrer toda essa fermentação, e então estar pronto para uso! Talvez possa ser mais simples do que imaginamos, vamos descobrir?

O que é o Etanol?

Vista panorâmica da Destilaria Costa Pinto em Piracicaba, fábrica que produz açúcar e etanol combustível além de outros tipos de álcool (Foto: Mariordo / Wikimedia)
Vista panorâmica da Destilaria Costa Pinto em Piracicaba, fábrica que produz açúcar e etanol combustível além de outros tipos de álcool (Foto: Mariordo / Wikimedia)

Primeiro para entendermos como o processo de fabricação do etanol é feito, precisamos saber a sua definição e no fim das contas, pra quais tipos de coisa ele serve, já que uma de suas grandes características é a sua função em diferentes tipos de coisas.

O etanol, também é conhecido popularmente como álcool etílico, que em seu composto químicos se dá pela fórmula: C2H5OH, isso significa que além de sua pureza, ele é constituído por 5 moléculas de hidrogênio (H), 2 átomos (C), e juntamente um grupo de hidroxila (OH).

Basicamente o etanol pode ser dividido em dois tipos, o que possui em sua composição um excesso de água e outro que não possui tanto assim, denominados, etanol hidratado e etanol anidro, respectivamente. Vamos citar as principais diferenças e em quais processos cada um deles é utilizado.

Etanol Hidratado e Anidro, qual a diferença?

Álcool tem preço influenciado pelo aumento do valor da gasolina (Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil)
Álcool tem preço influenciado pelo aumento do valor da gasolina (Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil)

Como falamos acima, o Etanol hidratado corresponde a 5% de água em sua composição, já o anidro possui apenas 0,5%, o seu processo depende de alguns adicionais para então ser retirado esse excesso de água e assim utilizado em suas devidas utilidades.

O Etanol Anidro, também é mais conhecido por ser um álcool mais puro, ou seja, possuindo pelo menos 99,6% de sua composição alcóolica, com isso, ele é misturado na gasolina. Já o álcool hidratado, possui cerca de 95% a 96% em etanol, deixando o resto ser composto apenas por água, esse sim é o mais comum de ser encontrado nos postos de gasolina.

Em questões de fabricação, o processo de fermentação geralmente acaba sendo parecido, o que difere são que alguns adicionais podem ser levados em consideração para retirar o excesso da água. Agora que você já sabe quais tipos que tem e para que eles servem, vamos ao processo de criação.

Afinal, como o Etanol é produzido?

O processo de fabricação do Etanol começa lá no campo, onde o ponto de coleta da cana de açúcar já está pronta para uso, devendo ser levada nas usinas em até 24h, pois assim se garante um ponto de maturação de qualidade para esse início de processo.

A cana deve passar por alguns processos industriais antes de virar qualquer outra coisa, então ela se inicia em uma esteira, onde é lavada e “higienizada”, e logo após isso, ela é levada aos trituradores, onde irá se obter um resultado de um caldo chamado melado, e toda a parte sólida será utilizada no processo de bioeletricidade.

Voltando para o caldo, ele deverá passar por alguns processos de clarificação, onde acabará se formando um mosto. Após esse resultado, ele deverá ser fermentado com algumas leveduras, se tornando então o vinho fermentado (onde possui uma parte em etanol).

Após esses processos mais simples, nas colunas de destilação, o vinho obtém uma separação do etanol, dando o resultado do hidratado, depois disso ele é guardado em alguns tanques até ser destinado às suas vendas. O Etanol anidro, precisa passar por mais algumas etapas nessa coluna, para retirar mais a água de sua composição, diferente do hidratado, que uma já é o suficiente.

Você já ouviu falar no Etanol de segunda geração?

Etanol de segunda geração
Etanol de segunda geração

Você lembra que nos processos iniciais, a cana de açúcar submetida a uma esteira tem algumas partes separadas? Como a líquida e a sólida, por exemplo, onde uma é denominada ao término do processo em etanol, e a outra em processo de biodiversidade.

Então o Etanol de segunda geração ou celulósico, é exatamente isso, o bagaço ou a palha (parte sólida) de sobra desse processo, onde é possível utilizá-la em procedimentos de cultivo de plantas por exemplo.

Então no Brasil, basicamente o etanol é extraído da cana de açúcar, também pode ser do milho ou de diversas outras plantas e vegetais cultivados por aqui, mas o mais comum é o que citamos da cana.