Como seria se desligássemos todos os satélites artificiais

Vamos imaginar que um dia, sem aviso ou motivo aparente, todos os satélites artificiais ao redor do Globo fossem desligados ou desaparecessem. O que aconteceria? Os primeiros a perceberem o problema seriam uns poucos operadores comerciais e governamentais. Antes mesmo de terem entendido o que aconteceu, milhares de pessoas em suas casas e trabalhos se dariam conta de que alguma coisa está errada.
Publicado em Curiosidades dia 23/08/2021 por Alan Corrêa

Vamos imaginar que um dia, sem aviso ou motivo aparente, todos os satélites artificiais ao redor do Globo fossem desligados ou desaparecessem. O que aconteceria?

Os primeiros a perceberem o problema seriam uns poucos operadores comerciais e governamentais. Antes mesmo de terem entendido o que aconteceu, milhares de pessoas em suas casas e trabalhos se dariam conta de que alguma coisa está errada.

Canais de comunicação sairiam do ar

Os principais canais de televisão, transmitidos ou propagados por satélites, ficariam sem sinal. O desaparecimento dos satélites causaria o fim da transmissão para todo o mundo.

Em seguida, os próximos afetados seriam os que estivessem viajando, por mar, por terra ou pelo ar, uma vez que serviços de localização e navegação hoje em dia funcionam graças aos satélites. Tudo seria instantaneamente interrompido.

Sistemas de transporte bloqueados

Pilotos, capitães e motoristas precisariam determinar suas localizações por meio de instrumentos analógicos e mapas. Todos os principais meios de transporte, aviões, navios e veículos de carga, seriam parados.

Enquanto isso, controladores de tráfego aéreo teriam a difícil tarefa de se comunicarem com os aviões e tentarem evitar os acidentes aéreos. Em poucas horas, quase todo o tráfego do planeta seria interrompido.

Isso teria um impacto terrível, pois o tráfego não se limita ao entretenimento ou viagens de particulares. O abastecimento das grandes cidades seria impossível, em pouco tempo a comida teria acabado.

O que aconteceria se desligássemos todos os satélites artificiais?
O que aconteceria se desligássemos todos os satélites artificiais?

Aparelhos de toda espécie deixariam de funcionar

Além disso, em pouco tempo todo tipo de máquinas e sistemas de aquecimento ou refrigeração seriam prejudicados. As linhas de montagem parariam num prazo muito curto também.

Hoje, todos eles dependem de sistemas de tempo extremamente precisos, tudo baseado em satélites. A maioria desses sistemas têm poucas alternativas de emergência, e alguns deles nem isso.

Nas ruas, o caos não seria menor. Os semáforos e outros sistemas de controle de tráfego sairiam de sintonia de uma só vez. Policiais e voluntários poderiam até começar a orientar uma parte dos veículos nos centros mais movimentados, evitando a perda total do controle da situação.

Economia viria à breca

Mas o pior ainda estaria por vir. O sistema econômico entraria em colapso, a economia mundial ficaria paralisada. Ninguém compra, e ninguém vende. Desde a Bolsa de Valores, até à mercearia da esquina teria suas transações interrompidas.

Isso porque registros de data/hora desempenham um papel crucial nesses sistemas digitais, e eles são possíveis graças aos satélites. Maquininhas de cartão de crédito não conseguiriam mais registrar as transações junto às financeiras. Não seria mais possível nem mesmo sacar o dinheiro.

O que aconteceria se desligássemos todos os satélites artificiais?
O que aconteceria se desligássemos todos os satélites artificiais?

Interrupção das cadeias de produção e logística

Depois disso, seria o desmoronamento das cadeias de produção e logísticas, especialmente de alimentos e medicamentos, que contam com sistema de refrigeração e validação muito rigoroso. As pessoas ficariam à mercê do que estivesse disponível apenas localmente.

Em um ou dois dias a maioria das nações declararia estado de emergência, e convocariam as forças armadas para ajudarem na manutenção ou restauração da ordem, mas isso poderia levar mais tempo do que realmente se dispõe.

Possibilidade de tensão internacional

A maioria dos sistemas de navegação e comunicação estariam indisponíveis, o que dificultaria muito as providências das forças armadas. As linhas de comando militares poderiam ficar desorientadas. Muitas tropas, inclusive as atuantes em campo ficam apenas com seus equipamentos.

Comandantes de submarinos nucleares e centros de controle de mísseis se perguntariam se essa interrupção da comunicação não seria uma iniciativa hostil de alguma nação inimiga ou o início de uma ofensiva hostil. As reações poderiam ser inesperadas, desesperadas.

O que aconteceria se desligássemos todos os satélites artificiais?
O que aconteceria se desligássemos todos os satélites artificiais?

Um retrocesso de 7 décadas

No melhor dos cenários, a civilização tal como a conhecemos hoje, retrocederia várias décadas. Apesar do atual sistema de comunicação ser relativamente novo, os satélites substituíram – e não acrescentaram – outras tecnologias consideradas ultrapassadas.

A combinação entre internet e geolocalização global permitiu que sinais quase que instantâneos pudessem ser sincronizados mundialmente em instantes. Quase todos esses sistemas foram criados, justamente, sobre o alicerce dos satélites.

Voltar ao sistema de comunicação de quase 70 anos atrás não seria algo simples, nem rápido, e muito menos espontâneo. Na maior parte dos casos seria preciso criar tudo do zero.

Um cenário teoricamente distante, mas na prática nem tanto

Mas o desaparecimento ou desligamento dos satélites parece algo bastante improvável no cenário atual. Contudo, dois cenários bem mais reais poderiam causar um impacto semelhante do descrito acima.

O primeiro seria uma irrupção solar tão forte que fritaria – literalmente – os circuitos dos satélites, bem como milhares de outros aparelhos e redes de abastecimento de energia ao redor do mundo.

Outro cenário seria uma reação em cadeia de colisões e órbita. Hoje são cerca de 7,5 mil toneladas de módulos espaciais inoperantes, propulsores e equipamentos descartados, tudo orbitando ao redor do nosso planeta. A velocidade relativa desses objetos é de 56.000 km/h, e nessas circunstâncias até mesmo objetos pequenos poderiam ser altamente destrutivos. Uma única colisão poderia dar origem a uma série interminável de outros acidentes, provocando uma reação em cadeia.

O que aconteceria se desligássemos todos os satélites artificiais?
O que aconteceria se desligássemos todos os satélites artificiais?

Necessidade de uma conscientização

É verdade que o Universo é enorme. Mas hoje muitos satélites compartilham as mesmas “rotas espaciais”, cada um para seu fim específico. Como a maioria dos objetos enviados ao espaço não são criados prevendo o descarte, essas rotas ficam cada vez mais “congestionadas”.

Mas fique tranquilo. A boa notícia é que podemos nos proteger desses acontecimentos estudando nosso sistema solar, criando alternativas de emerg6encia para o caso de uma falha das redes de satélites, e cooperando para evitar uma tragédia orbital que seria prejudicial para todos nós.

O imenso espaço sideral acima de nós é como uma floresta, o oceano e o ar puro: se não o tratarmos como um recurso finito, podemos acordar um dia e descobrir que não o temos mais à nossa disposição.