Neuralink: Elon Musk quer chips em humanos para nos conectarmos com computadores

Imagine que incrível poder ter todo o poder dos chips, aqueles mesmos que deixam seu computador mais poderoso, instalados em você mesmo. É mais ou menos isso que Elon Musk planeja com a Neuralink.
Publicado em Ciência dia 23/01/2022 por Alan Corrêa

Imagine que incrível poder ter todo o poder dos chips, aqueles mesmos que deixam seu computador mais poderoso, instalados em você mesmo. É mais ou menos isso que Elon Musk planeja com a Neuralink.

Depois de revolucionar a indústria de veículos com seus carros elétricos da Tesla e estar buscando a exploração espacial com a SpaceX, agora o bilionário Elon Musk quer revolucionar nossos corpos.

A Neuralink é uma empresa especializada em neurotecnologia para o desenvolvimento de chips de implante cerebral, pode iniciar testes em humanos.

Recentemente a Neuralink divulgou uma vaga de emprego que está sendo muito esclarecedora sobre o futuro dos projetos do negócio, a vaga para Diretor de Ensaios Clínicos sugere que eles estão precisando de profissionais para supervisionar os testes de implantação de seus chips em cérebros de humanos.

Elon Musk discursando sobre a Neuralink (Foto: Steve Jurvetson / Flickr)
Elon Musk discursando sobre a Neuralink (Foto: Steve Jurvetson / Flickr)

A vaga é para Fremont, Califórnia, e oferece ao candidato, benefícios, refeições e ‘uma oportunidade de mudar o mundo’.

“O Neuralink está funcionando bem em macacos e, na verdade, estamos fazendo muitos testes e apenas confirmando que é muito seguro e confiável e que o dispositivo Neuralink pode ser removido com segurança”, disse Musk durante uma entrevista ao vivo com o CEO do The Wall Street Journal. Cimeira do Conselho.

Neuralink é uma sociedade comercial neurotecnológica anglo-americana estabelecida por Elon Musk e outros oito, que relatou estar a desenvolver interfaces cérebro–computador (ICs) implantáveis.
Neuralink é uma sociedade comercial neurotecnológica anglo-americana estabelecida por Elon Musk e outros oito, que relatou estar a desenvolver interfaces cérebro–computador (ICs) implantáveis.

“Esperamos ter isso em nossos primeiros humanos – que serão pessoas com lesões graves na medula espinhal, como tetraplégicos, tetraplégicos – no próximo ano, dependendo da aprovação do FDA. “Acho que temos a chance de permitir que alguém que não pode andar ou usar os braços, volte a andar – mas não naturalmente”.

No ano passado, Elon Musk e a Neuralink compartilharam um vídeo de um chimpanzé jogando videogame utilizando os recursos do chip implantado em seu cérebro.

Musk disse, ao periódico “Wait But Why”, em abril de 2017, que a empresa aspira, no curto prazo, criar dispositivos para tratar doenças cerebrais graves, a ser o objetivo final o aperfeiçoamento humano. Em junho de 2016, Musk discutiu um conceito fictício-científico nominado “laço neural”, que é parte do universo ficcional de A Cultura, uma série de romances de João Banks.

De acordo com Elon Musk, através de um implante cerebral do Neuralink, a mesma tecnologia pode ser utilizada para dar às pessoas o controle de membros sintéticos.

*Com informações do The Wall Street Journal, Wait But Why e The Economist.